Sobre construção coletiva para iluminação arco-íris no Congresso Nacional

História feita por muitas mãos e vontades! O fato inédito de o Congresso Nacional ter recebido iluminação nas cores do arco-íris LGBT no domingo 28 foi fruto de soma desde o início. E colaborações estão sendo visibilizadas. Por duas terem chegado ao nosso conhecimento nesta segunda 29, fazemos essa nota.

Nós, o Brasília Orgulho, como coletivo da sociedade civil, ao vermos que não seria possível realizar a 23ª Parada do Orgulho LGBTS de Brasília marcada para aquele dia, nos mobilizamos para não deixar a data ficar sem celebração.

A saída veio de conversa entre nosso cocoordenador Welton Trindade com o colaborador Igor Albuquerque, do Bar Birosca e produtora Balada em Tempos de Crise: nos somarmos como empresa e coletivo social para iluminar o Congresso Nacional. Decidida a empreitada, partiu-se para a execução.

Então, o Brasília Orgulho pediu ajuda ao assessor parlamentar Eliseu Neto (Cidadania) para que nos colocasse em contato com o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) e um integrante da Câmara dos Deputados, no caso Daniel Coelho (Cidadania-PE).

Objetivo: que eles solicitassem às presidências das duas casas o desligamento das luzes do prédio por 15 minutos no domingo 28 às 20h para que fizéssemos a projeção.

O aceite do Senado a nós veio na sexta 26. O da Câmara dos Deputados, apenas no início da tarde do sábado 27 e informalmente.

Eis que, esclarecendo declarações próprias anteriores, o deputado federal David Miranda (Psol-RJ) publicou às 13h54 da segunda 29, ofício de 23 de junho pelo qual havia pedido à Presidência da Câmara que o Congresso Nacional se iluminasse entre 28 de junho e 28 de julho ou entre 28 de junho e 5 de julho.

Como a ação do Brasília Orgulho não dizia respeito a tais períodos nem que a casa legislativa custeasse a iluminação, não ficou claro para nós que tal solicitação tinha algum efeito na ação feita por nós por 15 minutos em um só dia, bancada financeiramente por doações em dinheiro que Brasília Orgulho e Birosca reunimos até horas antes da execução da iniciativa e com design construído por nós.

Então Miranda (Psol-RJ), às 17h36 também da segunda 29, divulga em seu Twitter, documento emitido pela Primeira-secretaria da Câmara dos Deputados em 26 de junho informando-o que estava atendendo tanto os pedidos feitos por Contarato e Coelho (feitos em soma com o Brasília Orgulho) quanto seu pedido.

No mais, chegou a nosso conhecimento na segunda 29 às 20h45, ofício em que o deputado federal Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) pede à Câmara dos Deputados que se iluminasse nas cores arco-íris no dia 28.

A história não se faz com vontades apenas, mas com atitudes. Ações difusas são fundamentais. As diretas também. Aqui queremos então reconhecer responsáveis por essas últimas em nome de todas e agradecer a quem se somou para termos tido aquele marco histórico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *